A Broncoscopia é um exame visual das vias aéreas, que são as vias de entrada do ar dentro dos pulmões. Para isso é introduzido um aparelho chamado broncoscópio pela boca ou pelo nariz, que vai por dentro dos pulmões com uma mini-câmera permitindo a visualização direta.

Quando é necessário?

. Infecções – permite coletar material de dentro dos pulmões para diagnóstico da infecção específica. No nosso meio uma das aplicações mais comuns é na suspeita da tuberculose pulmonar.
. Inspeção direta de uma lesão suspeita de câncer,visualizada na radiografia ou na tomografia de tórax . Permite em alguns casos a retirada de fragmentos (biópsias) confirmando o diagnóstico.
. Suspeita de corpo estranho – em alguns casos podemos aspirar objetos pequenos sem perceber, e a broncoscopia permite a identificação e retirada ao mesmo tempo.
. Tosse com sangue- permite ao mesmo tempo o diagnóstico e a tentativa de conter o sangramento.
. Respiração com ruido – permite diagnosticar pontos de estreitamento na entrada do ar que possam causar falta de ar ou ruídos na respiração.

Como é a preparação?

. O exame é realizado sempre no hospital com a participação de um médico anestesiologista, que pode realizar desde uma sedação leve até anestesia geral a depender do caso. É necessário jejum absoluto, inclusive de água por oito horas antes. Algumas medicações precisam ser suspensas eventualmente uma semana antes. Por isso todas as medicações de uso contínuo devem ser informadas.

O que acontece durante o exame?

O paciente deita numa mesa cirúrgica, e apos a realização da anestesia, o aparelho é introduzido. É realizada a análise das vias aéreas e a coleta de todos os material necessários. Dura de 15 a 30 minutos.

Quais são os riscos?

O procedimento é bastante seguro, mas como qualquer procedimento invasivo envolve alguns riscos. Paciente gravemente doentes dos pulmões em geral não podem realizar o procedimento visto que pode haver uma baixa de oxigenação temporária que é muito bem tolerada pela maioria das pessoas mas não pelo doente pulmonar grave. É comum haver tosse e um pouco de desconforto na garganta após, situações que são muito bem toleradas.
Pode haver também um vazamento de ar após, chamado de pneumotórax, que requeira a colocação de um tubo no tórax. Também pode haver sangramento, que em geral é bem controlado. Pneumotórax e sangramento importante são complicações felizmente muito raras.

O que acontece depois?

Se não houver complicações o paciente recebe alta no mesmo dia. Espera-se duas horas, é servida uma refeição leve e se não sentir náuseas ou vômitos a alta é concedida logo em seguida. É preciso ir acompanhado e não dirigir no dia, mas é muito pouco provável que haja algum problema após a alta. Os diversos resultados do exame vão sendo liberados ao longo dos dias, sendo o último a cultura para tuberculose que leva dois meses para ficar pronta.

Pneumologia Pimentel © 2016 - Desenvolvimento : www.ebgconsultoria.com

Ligue: (21) 3256-2291 / 9810-36892